Saúde

O que fazer para que o tempo livre não se torne um fardo?

por Beltrina Côrte
16 de abril de 2020

Aproveitar a aposentadoria para encontrar o que te faz feliz. Por que não?

Foto: Free-Photos – Pixabay

Desde pequenos, na escola, somos ‘treinados’ para o mundo do trabalho: acordar cedo, ir para a escola, fazer lição de casa… E passamos nossa vida adulta trabalhando: saímos de casa pela manhã e só retornamos à noite. Nessa etapa da vida, o trabalho se torna o grande organizador de nosso tempo e vivemos, a maior parte desses anos, em função dele, desejando ardentemente a chegada da aposentadoria.

Mas não somos treinados para vivenciar esse tempo livre que chega com a aposentadoria. No início, parece até com os primeiros dias das férias: sem horário para levantar, sem exigências de prazos, sem ninguém para pegar no pé… Até que chega um dia em que não sabemos mais que dia é, nem que horas são, o que nos deixa desnorteados. 

E o tempo livre, de prazeroso, começa a pesar até ser um grande fardo. O que fazer da vida?

Voltar a estudar, realizar aquela viagem tão adiada, visitar familiares distantes, participar de alguma organização social, formar um grupo de pessoas amigas para ir ao cinema ou ao baile, ou ainda ler um bom livro, fazer trabalhos voluntários… E até voltar a trabalhar em algo que se gosta e com horário reduzido são algumas das opções que dão sentido à vida depois da aposentadoria. Isso é essencial para a saúde mental, emocional, espiritual e social.

O importante é encontrar um significado na vida. Pergunte-se: “O que me faz levantar todos os dias?” e “Qual é meu projeto de vida?”

A aposentadoria é uma excelente oportunidade para você ir ao encontro de si, descobrir-se, ir atrás de sua plenitude. A começar por fazer o que gosta e que dá prazer. Jamais se aposente da sua vida.

Algumas pessoas aproveitam esse tempo para fazer o que gostariam de ter feito, mas que não tiveram oportunidade. Outras investem na aprendizagem de novas habilidades, como aprender outro idioma, criar um blog, cozinhar, fazer arranjos florais, artesanato… Há ainda aquelas que transformam um hobby em renda extra, empreendendo. E há ainda quem resolva colocar a leitura em dia, comece a correr e até a se dedique a um trabalho voluntário…

Não importa sua escolha: mesmo que seja ficar em casa, contemplar seu jardim, curtir a visita dos netos, assistir a novelas, jogos… O importante é dedicar-se a algo prazeroso, porque a atividade escolhida dá vontade de viver. Ela dá sentido às suas ocupações diárias. É isso que importa, não é mesmo?

Para quem ainda não sabe o que fazer do seu tempo livre, seguem algumas atividades gratuitas:

Para aprender

USP60+: prceu.usp.br/usp60 ou e-mail: usp60@usp.br.

Para conviver

Centros de Convivências: IPGG e Fundo Social São Paulo

Núcleos de Convivência do Idoso (NCI): Procurar o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) mais próximo de sua casa para informações.

Centro de Referência da Cidadania do Idoso (Creci@) – Prefeitura de São Paulo

Programas do Sesc – Ver programação

Para ler junto

Espaço de Leitura – Parque da Água Branca (SP): (11) 2588-5811. E-mail: contatoespacodeleitura@sp.gov.br

Para bailar

Baile da terceira Idade Parque da Água Branca

Para solidarizar

Voluntariado: https://www.atados.com.br/causa/idosos

Sobre a autora:

Beltrina Côrte

Beltrina Côrte é jornalista, doutora em Ciências da Comunicação e docente da PUC-SP. CEO do Portal do Envelhecimento e Espaço Longeviver.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto