Saúde

Medicina alternativa funciona? Como e quando procurar por ela?

por Daniela Santilli
12 de agosto de 2020

Nas últimas décadas, a busca dos pacientes por conciliar tratamentos convencionais com a medicina alternativa vêm crescendo. Entenda mais sobre o assunto!

Foto: paulynn – Shutterstock

As pessoas buscam na medicina convencional a cura e a exclusão da doença. Já na medicina alternativa, buscam o alívio para dores, angústias e a origem das doenças. O que aconteceu na sua história e no seu corpo para que ela se desencadeasse?

Existem ainda as pessoas que optam pelo tratamento totalmente alternativo, apenas com a medicina alternativa. Uma minoria no Brasil, mas que cresce vagarosamente. Inclusive, a homeopatia já pode ser encontrada no Sistema Único de Saúde (SUS), enquanto que a medicina chinesa ou medicina antroposófica, entre outras, ainda são encontradas apenas em clínicas particulares.

Na área da saúde, há um impasse quando o tema é abordado. A grande maioria dos médicos convencionais é contra a medicina alternativa, dizendo que possuem efeito placebo, veja aqui o caso da homeopatia. 

Isso não significa que, em alguns casos, admitem que ela possa ser um tratamento paralelo, de apoio, mas sem excluir o tratamento convencional. Às vezes, o efeito psicológico, ou placebo, como se diz, pode sim ajudar na melhora de algum caso, mas, cientificamente há muito ainda o que ser feito para que esses tratamentos sejam vistos como funcionais.

Conheça um pouco sobre os tratamentos alternativos mais procurados

Homeopatia 

Acupuntura 

Medicina Tradicional Chinesa (assista também um vídeo sobre o assunto)

O que se sabe é que elas funcionam bem para casos menos graves, como dores, inflamações ou desconfortos, portanto, pense bem antes de escolher. Talvez uma boa solução seja associar o tratamento convencional à terapia alternativa com a qual você mais se identificar, fazendo uma espécie de combo de saúde.

Sobre a autora:

Daniela Santilli

Daniela Santilli, fundadora do Plano Cuida Idoso, onde escreve e compartilha sobre cuidados, direitos e experiências com a terceira idade, formada cuidadora de idosos pela Cruz Vermelha, estudante de Gerontologia. Atua no mercado atendendo a pessoa idosa e seus familiares em casa, onde trabalha segurança, organização, afeto e reinserção social da pessoa idosa.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto