Saúde

Cuidados paliativos para idosos: o que são e quando começar

por Daniela Santilli
12 de agosto de 2020

Entenda o que são cuidados paliativos e por que cresce tanto a escolha por este tratamento. Cuidados paliativos para idosos além de humanizados, incluem questões pessoais, espirituais e familiares

Foto: Paulo Vilela – Shutterstock

A primeira coisa que temos que entender sobre os cuidados paliativos é que, apesar de terem sua maior projeção no final da vida (por isso falamos em cuidados paliativos para idosos) qualquer pessoa que receba a notícia de portar uma doença grave ou terminal, mesmo que no estágio inicial, pode se beneficiar dos cuidados paliativos. Isso independe da idade.

O que são cuidados paliativos para idosos?

Cuidados paliativos para idosos devem ajudar pacientes e familiares a passar por todos os processos da doença, com suporte médico e psicológico. Uma pessoa no estágio final da vida, além de muito medo, tem muitas questões para resolver e, quanto mais velha, em tese, mais dificuldades terá, devido aos anos de histórias vividas. Tudo dependerá da história de cada um. Dessa forma, cuidados paliativos para  idosos podem ser uma opção reconfortante, partindo do princípio do apoio que o idoso receberá para todas as suas questões, sejam elas de ordem espiritual, social ou familiar. Ao escolher pelos cuidados paliativos logo no início, a equipe clínica poderá ajudar para que todos os envolvidos passem por todas essas etapas de uma forma mais humana.

O que é uma doença grave ou doença terminal?

Doença grave ou terminal é qualquer doença que não tenha cura, apenas tratamento, como um câncer metastático. 

Qual a diferença de cura e tratamento no caso de doenças graves ou terminais?

Cura, como o nome diz, é que após o tratamento, o paciente não terá mais a doença. Tratamento, significa que a doença não vai deixar de existir, mas que existem tratamentos que podem retardar o seu avanço e dar qualidade de vida ao paciente.

Os cuidados paliativos para idosos, de uma forma ampla, devem cuidar do sofrimento do paciente, seja ele físico, emocional ou social. Talvez essa seja a melhor forma de sintetizar os cuidados paliativos em uma frase.

Tipos de tratamento de cuidados paliativos

Tratamento ambulatorial – para pacientes no estágio inicial, que levam a vida normalmente

Tratamento domiciliar – para pacientes que não conseguem ir ao consultório, mas estão bem de saúde e podem viver em casa com segurança

Tratamento hospitalar – para pacientes que precisam de ações médica imediatas. Eles se dirigem a uma enfermaria hospitalar que tem a estrutura hospitalar necessária garantindo dignidade, qualidade e conforto de vida, que é a proposta maior dos médicos paliativistas

Onde encontrar tratamentos paliativos em São Paulo

No Hospital do Servidor , no Hospital das Clínicas e na Santa Casa. Em hospitais particulares, também costuma haver uma equipe ou um núcleo de cuidados paliativos. 

Enquanto houver vida, vale a pena viver.

Para saber mais:

Apenas pacientes com doenças terminais se beneficiam dos Cuidados Paliativos?  – Ana Claudia Quintana Arantes

A morte é um dia que vale a pena viver – Ana Claudia Quintana Arantes

Sobre a autora:

Daniela Santilli

Daniela Santilli, fundadora do Plano Cuida Idoso, onde escreve e compartilha sobre cuidados, direitos e experiências com a terceira idade, formada cuidadora de idosos pela Cruz Vermelha, estudante de Gerontologia. Atua no mercado atendendo a pessoa idosa e seus familiares em casa, onde trabalha segurança, organização, afeto e reinserção social da pessoa idosa.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto