Cuidado | Saúde

Como a população idosa está sendo afetada pela COVID-19?

por Marcia Di Domenico
3 de julho de 2020

Tudo o que você precisa saber sobre como proteger a saúde física e mental dos mais velhos durante a pandemia e o isolamento social

Foto: Solarisys – Shutterstock

A pandemia da COVID-19 colocou os idosos do mundo inteiro no centro das atenções. Embora o risco de infecção pelo novo coronavírus seja alto em todas as faixas etárias, pessoas acima de 60 anos formam o grupo com maior risco de desenvolver complicações da doença, sobretudo aquelas que apresentam problemas crônicos como diabetes, obesidade, hipertensão, câncer e doenças cardíacas e respiratórias. 

“É natural do processo de envelhecimento que o sistema imunológico vá ficando mais debilitado, o que reduz a capacidade do organismo de lutar contra infecções”, explica o geriatra Natan Chehter, do Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo. Além disso, com a idade, pulmões e mucosas tornam-se mais frágeis e vulneráveis ao ataque por vírus e bactérias. 

Com a recomendação de isolamento social para conter a propagação do vírus causador da COVID-19, bastante coisa mudou no cotidiano de idosos e cuidadores. Muitos idosos que vivem sozinhos deixaram de sair à rua e de receber visitas, passando a contar com a mobilização de parentes, vizinhos e amigos para levar mantimentos, remédios e atender outras necessidades do dia a dia. Aqueles que moram com cuidadores também precisaram fazer ajustes na rotina para garantir o distanciamento seguro. Em todos os casos, algumas medidas de cuidado com a higiene pessoal e dos ambientes, assim como de apoio emocional ao idoso, devem ser seguidas. 

Etiqueta respiratória e higiene 

A atenção com a limpeza da casa e com os cuidados de higiene para evitar contaminação pela COVID-19 deve ser a mesma para pessoas idosas e jovens. Cuidadores precisam ficar atentos para que idosos mais debilitados cumpram as orientações da maneira adequada.

— Lavar as mãos com frequência, ter frascos de álcool gel em vários lugares da casa, higienizar objetos e produtos que vêm da rua antes de usá-los e evitar compartilhar objetos como talheres, copos e toalhas são medidas básicas. 

— Ao espirrar e tossir, cobrir boca e nariz com o braço flexionado ou lenço, que deve ser descartado em seguida. Evitar levar as mãos aos olhos, nariz e boca, se não estiverem limpas.

— Se o cuidador precisar chegar muito perto do idoso para dar banho ou refeição, trocar de roupa ou ajudar em alguma tarefa, o ideal é que os dois usem máscara. Sempre que possível, nos momentos de comer, assistir à televisão e bater papo, o melhor é que se sentem a uma distância de pelo menos um metro um do outro. 

— Ao cumprimentar outras pessoas, evitar abraçar e beijar. 

Bem-estar e apoio emocional

É normal que o idoso sinta falta da interação social com vizinhos, amigos e familiares, o que pode deixá-lo mais triste e ansioso. Saiba como amenizar o efeito do isolamento no bem-estar emocional:

— Filhos, netos e cuidadores devem reforçar que o isolamento é necessário, mas passageiro, e que logo será possível encontrar as pessoas queridas e passear. Isso vai trazer conforto e segurança ao idoso.

— É importante estimular atividades físicas dentro de casa, como pequenas caminhadas, subir e descer escadas, fazer exercícios de alongamento e respiratórios, dançar — com a presença de alguém por perto por segurança, se for o caso. Existem vários aplicativos para celular e perfis nas redes sociais que podem auxiliar a prática. “Mesmo quem não se exercitava antes da pandemia deve tentar adotar uma rotina de exercícios em casa”, recomenda Natan Chehter. Hobbies e distrações, como cuidar das plantas, cozinhar, ler, jogar cartas ou fazer palavras cruzadas também vão ajudar a manter corpo e mente ativos e tirar o foco dos acontecimentos negativos. 

— Para os maduros que estão trabalhando em casa, vale a pena definir horários para as tarefas pessoais e profissionais. Isso ajuda a organizar a rotina e aumenta o bem-estar. 

— Tomar alguns minutos de sol por dia, se houver varanda ou quintal disponível, vai aumentar a disposição e ativar a produção de vitamina D, importante para a saúde geral. Escolha os horários de sol mais fraco, como no início da manhã e fim da tarde.

— O contato com familiares e amigos por telefone, mensagens e chamadas de vídeo deve ser estimulado, a fim de diminuir a sensação de isolamento e ajudar a matar a saudade. Também vale combinar de assistirem a filmes e programas de TV juntos, cada um em sua casa, se houver a possibilidade.  

— Converse com o idoso. Muitos gostam de lembrar histórias e experiências do passado, enquanto outros se interessam por temas atuais e variados, como política, viagens, assuntos que estão na televisão. Apenas preste atenção para não focar em notícias negativas. 

O que fazer se o idoso apresentar sintomas de COVID-19? 

“Se tiver sintomas leves de COVID-19, como perda de olfato ou paladar ou febre baixa, o ideal é receber atendimento em casa, se possível, para evitar a exposição ao ambiente de hospitais e postos de saúde”, fala o geriatra. Pelas orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), a pessoa idosa só deve procurar o serviço de saúde caso apresente febre alta, tosse, falta de ar, cansaço excessivo ou confusão mental. No caso de o cuidador que mora com o idoso sentir sintomas de gripe, ele deve imediatamente se afastar da convivência com o paciente. E se o idoso demonstrar medo de ficar doente ou morrer?

O mais importante é respeitar as emoções da pessoa, sem tentar minimizar o sofrimento dizendo simplesmente que vai ficar tudo bem. Explicar que vocês estão tomando as medidas certas e fazendo cada um sua parte para se manter saudáveis pode ser tranquilizador. Esteja disponível para conversar, telefone e incentive o idoso a fazer contato sempre que se sentir angustiado. 

Sobre a autora:

Marcia Di Domenico

É jornalista e escritora. Trabalhou por mais de dez anos como editora de saúde, bem-estar e comportamento em revistas e sites de lifestyle. Hoje colabora com reportagens e produz conteúdo para internet e veículos impressos.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto