Saúde

Alcoolismo na terceira idade: como identificar e como tratar

por Madu
23 de abril de 2020

O alcoolismo é uma doença que atinge 12% dos brasileiros e afeta ainda mais as pessoas com mais de 60 anos. Entenda os motivos, os riscos e algumas dicas para tratar o alcoolismo na terceira idade

Foto: Jeremy Wong – Unsplash

Será que tomar uma cerveja toda tarde é um problema? O alcoolismo na terceira idade é uma doença, muitas vezes invisível, que atinge 12% dos brasileiros. Quando falamos de pessoas com mais de 55 anos, essa realidade se torna ainda mais preocupante.

Segundo a publicação Álcool e a Saúde dos Brasileiros – Panorama 2019, houve um aumento de 6,9% no número de internações parcial ou totalmente atribuídas ao alcoolismo na terceira idade.

Além disso, “uma pesquisa nacional demonstrou que 12% dos entrevistados com mais de 60 anos foram classificados como bebedores pesados [mais de 7 doses/semana], 10,4% como bebedores pesados episódicos [mais de 3 doses em uma única ocasião] e 3% foram diagnosticados como dependentes”, afirma  Arthur Guerra de Andrade, Presidente executivo do Centro de Informações sobre Saúde e Álcool (Cisa).

Qual o motivo da tendência ao alcoolismo na terceira idade?

De acordo com a Dra. Carolina Hanna, psiquiatra do Núcleo de Álcool e Drogas (NAD) do Hospital Sírio-Libanês, podem existir algumas explicações para isso: a aposentadoria, a solidão, a viuvez, o isolamento social ou alguma doença crônica são fatores que podem levar à depressão e à ansiedade, tendo como consequência – em alguns casos – o alcoolismo.

Quais os riscos do excesso de bebidas alcoólicas para pessoas mais velhas?

Outro elemento que deve ser levado em conta é que o alcoolismo na terceira idade pode acarretar quadros complicados, como deficiências nutricionais, riscos de infartos e AVC, depressão, confusão mental, piora de diabetes e hipertensão arterial, entre outros.

Como tratar o alcoolismo na terceira idade?

Tendo em vista o cenário acima, o Hospital Santa Mônica separou 4 dicas para orientar a tratar o alcoolismo na terceira idade:

1. Busca por orientação e auxílio profissional

É fundamental um diagnóstico apurado para que os médicos possam pensar na estratégia mais adequada para aquele ou aquela paciente. A depender de cada caso, o procedimento e estratégia pode ser totalmente diferente.

2. Atenção aos efeitos do álcool no organismo

Por conta do envelhecimento, o corpo e organismo da pessoa idosa podem apresentar algumas limitações. Por isso, o uso crônico do álcool pode levar ao desenvolvimento de problemas físicos (diabetes, câncer, doenças cardiovasculares e distúrbios gastrointestinais), além de agravar transtornos mentais (depressão, ansiedade, psicose, demência e Alzheimer). É importante estar atento a esses sintomas!

3. Participação em grupos de autoajuda

Grupos de apoio como Alcoólicos Anônimos (AA) podem ajudar bastante a pessoa idosa, principalmente no que diz respeito ao aspecto da socialização, pois ela pode encontrar um espaço de acolhimento, reinserção social e compartilhamento de experiências.

4. Apoio de amigos e familiares

Abandonar qualquer tipo de vício é muito mais fácil com apoio de pessoas queridas: familiares, amigos ou vizinhos. Por isso, se você suspeitar que alguma pessoa idosa próxima está cultivando alcoolismo na terceira idade, aproxime-se dela e demonstre o seu total apoio para na resolução desse problema.

Sobre a autora:

Madu

MADU é uma iniciativa do projeto Rede Bem Estar, realizado pelo Conselho Estadual do Idoso, em parceria com o Grupo Tellus, a Brasilprev e a Liga Solidária. Foi criada para potencializar a relação entre pessoas mais velhas, seus familiares e amigos além de compartilhar conteúdos sobre envelhecimento e velhice.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto