Financeiro

Organizando as despesas

por Brasilprev
27 de agosto de 2020

Quais as dicas para organizar as despesas do dia a dia e sobrar dinheiro no final do mês?

Foto: Rido – Shutterstock

Um orçamento equilibrado é importante em todas as fases da vida, seja ela de pessoas, empresas ou até do governo. Sempre devemos ter em nossa cabeça um lema importante:

“Devo gastar menos do que ganho para não passar por apertos no final do mês”.

É um lema simples, mas que ajuda muito no planejamento financeiro do nosso dia a dia e na realização de nossos objetivos e sonhos.

Para organizar suas finanças, a primeira coisa que se deve fazer é um diagnóstico da situação atual, ou seja, listar todas as receitas e despesas fixas e variáveis com as quais devemos arcar todos os meses.

Então, primeiro passo: pegue um caderninho em branco que esteja encostado em casa e uma caneta, e vamos anotando todos os gastos da casa. Comecemos pelos fixos, ou seja, despesas que temos todos os meses e que, normalmente, não mudam muito de valor entre os meses. Esse é o caso do aluguel, plano de saúde, remédios, etc. Depois, vamos anotando os variáveis, ou seja, aqueles gastos menos recorrentes e que variam muito de um mês para o outro. Podem ser as compras de supermercado, roupas, sapatos ou até aquele conserto de última hora. Não deixe nada de fora.

Depois, é a vez das receitas, tudo aquilo que ganhamos. Aqui entram salário, aposentadoria, renda extra, rendimentos de imóveis alugados, pensão, todas as receitas fixas e variáveis que temos no mês.

Depois é só subtrair todas as despesas (fixas e variáveis) das receitas (fixas e variáveis). No final do mês, o resultado deve ser maior que zero para que seu orçamento esteja equilibrado. Se for menor que zero, quer dizer que no final do mês vai faltar dinheiro para pagar suas coisas.

Assim, temos duas situações possíveis:

1) Ganhos maiores que os gastos: Parabéns!!! Você conseguiu pagar suas contas e ainda sobrou um dinheirinho que você pode guardar para comprar aquele presente legal para você ou para família; ou até para fazer aquela viagem que você sempre quis, mas não podia. Claro, só indo depois que a pandemia acabar, certo?

2) Gastos maiores que ganhos: Ih, a situação não foi muito boa esse mês, mas não se assuste! O importante é que, com a lista de tudo que gastamos, podemos analisar nossas contas e verificar porque nossa conta não está fechando.

É nesse momento que entra a próxima fase, a análise e planejamento. De tudo que gastamos todos os meses, o que poderíamos reduzir? O que são gastos realmente necessários e o que são gastos por impulso ou supérfluos? O que podemos cortar? O que podemos renegociar?

O importante é tentarmos, sempre, gastar menos do que ganhamos para deixar uma reserva para emergências ou até investir parte de nossos ganhos em algo que queremos. Quem disse que não se pode empreender na maior idade? Aquele café, que é seu sonho desde adolescente, por que não tentar realizá-lo? Ou até um sofá novo, um celular mais potente para as vídeochamadas em família?

Tudo que precisamos é de disciplina para não deixar nenhum gasto de fora, planejamento sempre – já que um mês é sempre diferente do outro – e criatividade na hora de substituir gastos. E, é claro, os parceiros antigos, mas que nunca falham: papel, caneta e a matemática!

Sobre o autor:

Brasilprev

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto