Cuidadores de idosos

O que você precisa saber sobre como cuidar de idosos em casa

por Marcia Di Domenico
22 de julho de 2020

Ser um cuidador é gratificante, mas pode ser também estressante. Entenda os desafios e as recompensas da atividade

Foto: Ocskay Bence – Shutterstock

Com o envelhecimento da população, cuidar de idosos em casa é uma demanda e uma realidade cada vez mais comum para os brasileiros. A profissão é uma das que mais crescem no país. De acordo com um levantamento de 2018, do Ministério do Trabalho, houve um aumento de quase 550% no número de cuidadores empregados entre 2007 e 2017.

Muitos cuidadores são profissionais de saúde com formação em enfermagem ou fisioterapia, por exemplo, que buscam conhecimentos específicos para exercer a profissão, reconhecida oficialmente em 2019. Mas uma parcela enorme é de familiares (filhos e companheiros, geralmente) que assumem os cuidados com um parente idoso, doente, com algum tipo de limitação de mobilidade ou que apenas está envelhecendo e depende de suporte no dia a dia.

Cuidar de idosos em casa é uma tarefa complexa

Conforme a condição de saúde e grau de dependência da pessoa idosa, pode exigir do encarregado competências específicas como técnicas para dar banho e lidar com pacientes acamados, prestar primeiros-socorros, administrar remédios. Quanto menos autonomia o idoso tem, portanto, maior a necessidade de contar com um profissional especializado para assisti-lo.

Além de habilidades técnicas, o ato de cuidar demanda paciência, empatia, tolerância e atenção. Muitos cuidadores familiares se queixam de sobrecarga física e psicológica no desempenho da função: sentem-se exaustos, sofrem por abrir mão de aspectos da própria vida (como trabalho, vida social e afetiva), podem enfrentar dificuldades financeiras e a autocobrança pela obrigação moral de cuidar do ente mais velho. Tudo isso pode resultar em estresse, ansiedade, tristeza, frustração, solidão e sintomas físicos (ganho de peso, alterações no sono e na libido, dores de cabeça e no corpo e problemas de pele), além de comprometer a qualidade do cuidado prestado.

Por outro lado, ser um cuidador em casa pode ter vantagens, como intimidade e reforço do vínculo familiar, mais segurança e conforto emocional ao idoso, manutenção de hábitos que a pessoa idosa já tinha. 

Como gerenciar o estresse por cuidar de idosos em casa

  • Reserve um tempo para si. Ser um cuidador muitas vezes implica sacrificar aspectos da própria vida, como trabalhar, sair com os amigos ou frequentar um curso. É importante incluir na rotina atividades que deem prazer e realização, ajudem a tirar as preocupações da cabeça e abram espaço para se conhecer. Alguns gostam de ler, outros de meditar, cozinhar, fazer esporte, receber uma massagem, desenhar…
  • Foque no que é capaz de oferecer. Sentimentos de culpa e frustração são comuns para quem se propõe cuidar de idosos em casa, por achar que não está sendo bom o suficiente com o paciente. Não se atenha à perfeição; procure pensar que está fazendo o melhor que pode.
  • Cuide da saúde. É fundamental tentar manter hábitos saudáveis, como ter uma alimentação equilibrada, praticar atividade física, dormir bem, cultivar relacionamentos positivos. Isso vai ajudar a se “blindar” contra o desgaste mental e emocional de ser um cuidador.   
  • Estabeleça uma rotina. Cuidar das necessidades do idoso e das tarefas da casa sem deixar de lado a própria vida pode ser um desafio. Uma estratégia é organizar uma agenda de afazeres, distribuindo-os ao longo dos dias da semana, de preferência com horários determinados para realizar cada tarefa. Isso alivia a sobrecarga mental e aumenta o bem-estar tanto da pessoa sendo cuidada quanto do cuidador.
  • Conte com ajuda. Vizinhos, amigos, parentes e grupos de apoio podem auxiliar em situações como fazer compras, preparar comida, levar o idoso para uma caminhada ou sentar para uma conversa, resolver coisas na rua. Criar uma rede de cooperação com outras pessoas que também desempenham a função de cuidadores traz alívio para a sobrecarga física e emocional.   
Sobre a autora:

Marcia Di Domenico

É jornalista e escritora. Trabalhou por mais de dez anos como editora de saúde, bem-estar e comportamento em revistas e sites de lifestyle. Hoje colabora com reportagens e produz conteúdo para internet e veículos impressos.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto