Cidadania

Conselho do Idoso em pauta: Envelhecimento, uma questão de direito

por Madu
26 de agosto de 2020

A gerontóloga Laura Machado falou sobre políticas públicas e condição da população de terceira idade no Brasil em entrevista ao podcast Conselho do Idoso

Foto: Rawpixel.com – Shutterstock

Em conversa com Luiza Lacerda e Juliana Gonçalves, no podcast de entrevistas Conselho do Idoso em Pauta, que discute temas relacionados aos Conselhos de Direitos da Pessoa Idosa no Brasil, ao envelhecimento e à participação social, a gerontóloga Laura Machado* abordou os temas de políticas públicas e direitos dos idosos.

Atuando há mais de 40 anos para o desenvolvimento de ações que visam a melhoria de qualidade de vida de idosos, Laura é uma das principais autoridades do assunto no país. Neste texto, separamos alguns pontos da entrevista.

Idade do envelhecimento

“A Organização da Nações Unidas (ONU) determinou que em países em desenvolvimento, como o Brasil, idosos são as pessoas com mais de 60 anos; e em países desenvolvidos, são aquelas com mais de 65 anos. Os países em desenvolvimento têm condições muito mais adversas que levam ao envelhecimento precoce. Esse é um conceito muito importante, pois quando você vai pensar numa política pública, temos que ter claro que o envelhecimento é absolutamente heterogêneo. Quando a gente fala de pessoas idosas, os determinantes do envelhecimento são múltiplos. Tem a carga genética, condicionamentos sociais, sanitários, educacionais, culturais ou acesso à saúde”.

Heterogeneidade

“Quando você vai traduzir a política que está no papel e na legislação e desenhar um plano de ação, você tem que conhecer quem é população idosa. Por exemplo: O envelhecimento em áreas nobres da zona sul da cidade de São Paulo é completamente diferente do que em Paraisópolis (bairro carente da cidade). É importante pensar, quando se está tratando de políticas públicas para o idosos acima de 60 anos, que há um espectro enorme. Uma pessoa de 60 anos, em geral, vai apresentar características diferentes de pessoas de 70, 80, 90 ou 100 anos. Devido a essa diferença, não se pode homogeneizar essa população, que apresenta condições e necessidades bem diferentes”.

Preconceito

“A questão do preconceito muitas vezes cega. Preconceito de todos. Porque somos uma sociedade que já avançou, mas ainda somos uma sociedade que privilegia os jovens e não respeita tanto os mais velhos, e muitas vezes esse preconceito está até nos idosos. Existem pessoas de 60 anos que têm preconceito contra pessoas de 80 ou mais. A própria Organização Mundial de Saúde traçou para os próximos anos, na Década do Envelhecimento Saudável, um dos pilares que vai ser tratado: o combate à discriminação por idade”.

Função do Conselho do Idoso

“Se nós pensarmos em qual é a principal missão do conselho estadual do idoso de São Paulo e de outros, eles existem no sentido de garantir que os direitos das pessoas idosas sejam cumpridos e respeitados. Agora, se essa é a função realmente, a gente precisa garantir direitos, precisa conhecer que direitos são esses e começar pelas políticas, pela legislação e o conhecimento da realidade. As políticas no Brasil são descentralizadas, de nível federal, estadual e municipal. Da mesma maneira que as pessoas idosas são extremamente heterogêneas, os municípios brasileiros também são extremamente heterogêneos”.  

Violência financeira contra o idoso

“A questão da violência financeira de fato existe, sobretudo nas áreas rurais dos pequenos municípios do Brasil. Só queria pontuar esse tipo de violência, que ocorre dentro da família, e que muitas vezes não é percebida pelo idoso como uma forma de violência.  Porque o neto pede para fazer um empréstimo consignado ou o filho pede para comprar uma moto para ele poder trabalhar. Isso é visto pelo idoso como um recurso que ele está disponibilizando para a família, mas muitas vezes em detrimento de que ele possa ter uma série de necessidades cumpridas com o seu benefício, como aposentadoria e pensão”.  

Para escutar toda a entrevista de Laura Machado acesse o link: https://open.spotify.com/episode/0iVUpJosApewtL9gP59HBN

*Laura Machado trabalha com o tema do envelhecimento há mais de 40 anos e atua como consultora para organizações públicas, privadas e do terceiro setor no tema do envelhecimento e desde 2013 atua junto aos Conselhos e Fundos dos Direitos dos Idosos. É gerontóloga titulada pela Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia (SBGG), criou e dirigiu o Instituto de Gerontologia da Universidade Cândido Mendes, atua como Representante na ONU da International Association of Geriatrics and Gerontology e é Membro do Conselho da ONG HelpAge International.

Sobre a autora:

Madu

MADU é uma iniciativa do projeto Rede Bem Estar, realizado pelo Conselho Estadual do Idoso, em parceria com o Grupo Tellus, a Brasilprev e a Liga Solidária. Foi criada para potencializar a relação entre pessoas mais velhas, seus familiares e amigos além de compartilhar conteúdos sobre envelhecimento e velhice.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto