Carreira | Economia

A nova oportunidade para idosos: trabalho realizador

por Sérgio Serapião
27 de abril de 2020

“Se o mercado de trabalho ainda valoriza mais o profissional mais jovem do que o mais velho, o que faço agora que tenho mais de 60 anos? Será que consigo emprego?”

Foto: DisobeyArt – Shutterstock

Essa é uma questão que aflige cada vez mais pessoas. Segundo censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, um em cada 4 brasileiros já tem mais de 50 anos (20,6% da população), e as vagas de trabalho não miram essa faixa mais madura.

Apenas 6,5% da população economicamente ativa é formada por idosos e, segundo levantamento do Serviço de Proteção ao Crédito – SPC, apenas 1,6% dos funcionários de grandes empresas têm acima de 60 anos. Como resultado, algumas consultorias e sites de busca de emprego indicam para não apresentar a idade, caso o candidato tenha mais de 50 anos. Mas não dá para fingir ser 20 ou 30 anos mais novo, certo?

Mas então é possível idosos trabalharem? Em quê?

Talvez um bom começo seja fazer uma avaliação de como você era profissionalmente 30 anos atrás. De lá para cá, entender como você foi mudando a postura e ganhando habilidades no decorrer dos anos. Quais eram seus pontos fortes naquela idade e quais são seus pontos fortes hoje? Eles devem ter se alterado, certo? 

No início, é comum lembrarmos como era bom quando éramos mais jovens. Esse é o mesmo pensamento de empregadores. Mas será mesmo que tudo era melhor? Será que suas experiências de vida ao criar filhos, casar, separar-se, virar avô ou avó lhe trouxeram sabedoria? Será que hoje você já não lida bem melhor com angústias e conflitos? Será que está menos ansioso do que quando era jovem?

Refletir sobre sua trajetória e valorizá-la é importante

Essa análise é fundamental para você se reconhecer hoje, diferente do que era ontem. Nem melhor, nem pior, apenas diferente. E essas diferenças podem valer muito no ambiente de trabalho, desde que você as reconheça e as valorize. Seniores tendem a ser mais acolhedores, cuidadosos, ter menos ansiedade do que jovens, e isso pode ser valioso no ambiente de trabalho.

Além de contar com toda experiência de vida e de anos na profissão, você pode ainda continuar aprendendo, complementando suas habilidades com novidades de sua profissão e tecnologias atuais, tais como celulares e internet. Assim, ao conciliar experiência com prontidão ao trabalho, sua idade e experiência podem fazer toda diferença no ambiente de trabalho.

Sobre o autor:

Sérgio Serapião

Empreendedor social, fellow Ashoka, atua há +14 anos com longevidade, cofundador e diretor da Labora, 1a startup de RH (HRtec) voltada para integrar talentos seniores a profissões do futuro, solucionando desafios de empresas e sociedade. Fundador do Movimento LAB60+, laboratório social colaborativo que busca soluções práticas para a co-construção de um mundo mais longevo. Membro do conselho do Sistema B Brasil.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto