Atividades Físicas

Que tal cuidar do corpo?

por Beltrina Côrte
28 de março de 2020

Sabe-se do benefício que atividades físicas podem proporcionar à sua saúde, ainda mais quando falamos de pessoas acima de 60 anos. E não é preciso muito para cuidar do corpo! Uma simples caminhada já pode mudar muito a sua qualidade de vida.

Foto: Keren Perez – Unsplash

Uma mãe de uma amiga, com mais de 70 anos, recebe como prescrição médica fazer hidroginástica de duas a três vezes por semana. Minha amiga a matricula em uma academia, mesmo com resistência da mãe. Passada uma semana, percebe que aquela prescrição é equivocada, pois logo nos primeiros dias observa que a hidro faz um dano tão grande à saúde mental da mãe que de nada adianta cuidar do físico. Ao investigar o motivo, descobre que a mãe sente-se totalmente intimidada com o fato de ter que se despir diante de outras pessoas, mesmo sendo mulheres igualmente idosas. Acontece que sua mãe jamais se despiu diante de outra pessoa. 

Essa história é mais comum do que se imagina. Os médicos muitas vezes recomendam exercícios sem perguntar para a pessoa o que de fato ela gostaria de fazer, sem levar em conta sua história de vida. Também é certo que muitas pessoas idosas só vão às academias por recomendação médica, e não porque se interessam em praticar atividades físicas, por mais que escutem falar da importância dos exercícios.

Ao longo da história da humanidade, por questão de sobrevivência, o ser humano sempre esteve em movimento e, para tal, valia-se das pernas, realidade que muda com a modernização, com a vida urbana. O caminhar, uma das primeiras atividades que aprendemos e incorporamos rapidamente ao nosso repertório de movimentos ao longo da vida, deixa de ser essencial. Passamos a ter uma vida mais sedentária, com menos caminhadas, pois utilizamos veículos nos quais, mesmo parados, confortavelmente sentados, conseguimos nos movimentar para lá e para cá. No trabalho, passamos mais tempo sentados, e tudo nos chega por vias eletrônicas. Em casa, sentamos para descansar e nos mantemos no sofá de onde, armados com controles remotos, mudamos canais, baixamos ou aumentamos o som dos equipamentos e damos ordens por meio de mensagens sem precisarmos nos levantar para nada.

Apesar da vida sedentária, ganhamos mais anos pela frente, pois assistimos sentados ao aumento da expectativa de vida. Viveremos mais tempo, mesmo em condições mais fragilizadas, com um corpo que, parado, perde massa muscular, enfraquece, torna-se flácido com o avanço da idade somada ao sedentarismo. Como cuidar de nosso corpo, templo de nossas vidas? O filósofo Leonardo Boff afirma: cuidar é mais do que um ato, é uma atitude. 

Não precisa muito. O simples caminhar traz benefícios para a saúde e melhor qualidade de vida. É um componente que promove saúde, auxilia na aprendizagem ao longo da vida e traz segurança e equilíbrio, pilares da política que compõe a estratégia do envelhecimento ativo, importante inclusive para pessoas idosas frágeis, com alguma deficiência e que precisam de cuidados, e um aliado firme para idosos que desejam manter-se saudáveis. 

Entre os princípios que norteiam o envelhecimento ativo, a atividade não se restringe a uma tarefa física ou a se manter no mercado de trabalho. Ser ativo significa muito mais: é estar engajado na vida social, cultural, espiritual e familiar, bem como no voluntariado e em causas cívicas. É atuar para manter o corpo e a mente em dia. Mas não é para mergulhar de cabeça no ativismo, basta atuar em uma pontinha para manter-se bem, fora do sedentarismo. 

Como se cuidar melhor?

Incluir a caminhada como um dos exercícios físicos na rotina diária é um dos primeiros passos a ser adotado e que está ao alcance da maioria.

Incluir a caminhada como um dos exercícios físicos na rotina diária é um dos primeiros passos a ser adotado e que está ao alcance da maioria. Mas é claro que a caminhada segura depende da existência de calçadas acessíveis, de parques e praças, e sabemos que nossas cidades não são amigáveis. Temos que contornar alguns desafios: batentes, buracos, desníveis; mas caminhar é preciso, e o jeito é buscar alternativas e fazer com cuidado. Olhe onde pisa, escolha um calçado confortável, encontre um bom caminho e siga pegadas. Aproveite e reivindique melhorias do poder público para garantir seu caminhar.

O que se sabe com certeza a partir de diversos estudos é que a prática de atividades físicas com mais frequência traz benefícios à saúde. Entre elas, as mais indicadas para pessoas acima de 60 anos – por serem de fácil realização e menos provável de causar lesões – são as caminhadas, as atividades na água, alongamento, dança e musculação, por desenvolverem flexibilidade, coordenação motora, equilíbrio e força muscular, aumentando a independência e autonomia nas atividades da vida diária. Ah, mas você não tem tempo nem disposição para fazer todo dia… Quem falou em todo dia? 

Entre elas, as mais indicadas para pessoas acima de 60 anos – por serem de fácil realização e menos provável de causar lesões – são as caminhadas, as atividades na água, alongamento, dança e musculação, por desenvolverem flexibilidade, coordenação motora, equilíbrio e força muscular, aumentando a independência e autonomia nas atividades da vida diária.

Um estudo recente, conduzido por um grupo de pesquisadores da Universidade do Alabama, em Birminghan, na Inglaterra, descobriu que caminhar algumas horas, apenas um dia por semana, é suficiente para aumentar de forma considerável o nível de força e resistência em pessoas acima dos 60 anos. Ou seja, podemos adquirir força muscular e melhorias cardiovasculares equivalentes a quem pratica exercícios diários ou três vezes por semana, independentemente da idade, como recomendam os profissionais da área. 

Ora, já que o tempo e a disposição para a prática podem ser um grande empecilho para quem é mais velho, esse estudo é um grande incentivo para pessoas idosas, pois não é nenhum sacrifício caminhar uma vez por semana. E não precisa de mais. Os pesquisadores indicam que um programa de baixa periodicidade, composto de exercícios aeróbicos e de resistência física, pode ser o método ideal, especialmente para mulheres acima de 60 anos. Vamos bater perna? Praia, shopping, vale tudo, o que não vale é ficar parada. 

Portanto, não é tarde para iniciar os exercícios de forma regular, de se movimentar, seja na rua, em grupo com amigos ou na academia. É claro que exercitar-se junto é bem mais prazeroso, pois além de trabalhar a parte física, também se amplia e se alimenta a rede social. 

Que tal começar agora?

Para ler
Saber Cuidar
autor: Leonardo Boff
editora: Vozes
ano: 2014
edição: 20ª

Sobre a autora:

Beltrina Côrte

Beltrina Côrte é jornalista, doutora em Ciências da Comunicação e docente da PUC-SP. CEO do Portal do Envelhecimento e Espaço Longeviver.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto