Aprendizado | Carreira

Aprendizado por toda vida como sinônimo de longevidade

por Sérgio Serapião
7 de abril de 2020

A importância de seguir desafiando o cérebro a realizar sonhos, independentemente da idade

Foto: Rocketclips, Inc. – Shutterstock

A expectativa de vida no Brasil em 1960 era de 54 anos. Hoje, o brasileiro que tem 60 anos nasceu num país no qual a vida era organizada em três fases: éramos crianças (até os 13 anos), adultas (até aproximadamente 50 anos) e, a partir de 50, já seria considerada velha. Assim, é usual que pessoas acima de 60 anos entendam que “seu tempo passou”. Afinal de contas, cresceram e viveram num mundo no qual acreditavam que faleceriam com idade inferior a que já estão hoje! 

Passados 60 anos, em 2020, a expectativa do brasileiro é de mais de 75 anos. E a vida passou a se organizar cada vez mais, não de forma trifásica, mas por ciclos, nos quais nos concentramos em objetivos concretos, que se apresentam diferentemente a cada pessoa. 

Algumas pessoas passam a cuidar dos pais a partir dos 50 anos, outros tem que cuidar de netos, outros conseguem iniciar novos ciclos profissionais. Não importa o motivo, a fase madura não é um momento de espera da aposentadoria, mas sim, uma fase bastante ativa, de diferentes modos, para muitas pessoas.

E se aproveitássemos a fase madura e nossa capacidade de aprendermos e de nos dedicarmos a objetivos diversos, para propositivamente buscarmos novos aprendizados? 

Estudos de neurociência apontam que nosso cérebro continua se transformando continuamente, conforme o mantemos ativo. Isso significa mantermo-nos desafiados, com novos aprendizados, novas rotinas nas relações humanas. 

Decorrentes disso, um conjunto de soluções vêm se apresentando para seniores. Seja para aprenderem a jogar videogames com seus netos, na ISGames, ou a se integrarem em atividades das universidades abertas da terceira idade, como na da USP ou em grupos que fomentam o protagonismo sênior no desenvolvimento e colaboração em ações sociais, com fins econômicos, com no LAB60+ .

Se no mundo trifásico, a fase de aprendizagem pertencia às crianças, na atualidade todos estão convidados a aprenderem e se desenvolverem por toda vida. Podemos escolher se queremos começar novo ciclo profissional ou novas relações com novos amigos. O que importa é desafiarmos nosso cérebro a realizar nossos sonhos e implementar nosso propósito, na idade em que estivermos. 

Então, vamos aprender o que hoje?

Sobre o autor:

Sérgio Serapião

Empreendedor social, fellow Ashoka, atua há +14 anos com longevidade, cofundador e diretor da Labora, 1a startup de RH (HRtec) voltada para integrar talentos seniores a profissões do futuro, solucionando desafios de empresas e sociedade. Fundador do Movimento LAB60+, laboratório social colaborativo que busca soluções práticas para a co-construção de um mundo mais longevo. Membro do conselho do Sistema B Brasil.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto