Aprendizado

Alfabetização de idosos: como ensinar a ler e a escrever

por Madu
13 de abril de 2020

As baixas taxas de alfabetização de pessoas idosas no Brasil é um reflexo da pobreza que existe no país e que dificultou que essa geração frequentasse a escola. A partir desse cenário, é possível incentivar a alfabetização de idosos?

Foto: Yoshua Giri – Unsplash

Muitos idosos brasileiros sabem apenas ler e escrever os próprios nomes. No país, ainda temos um histórico de pobreza, o que impediu que nossos pais e avós frequentassem a escola. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 18% das pessoas de 60 anos são analfabetas. Então, nos perguntamos: como incentivar a alfabetização de idosos?

18% das pessoas de 60 anos são analfabetas

No artigo “Nunca é tarde para se alfabetizar”, a especialista Beltrina Côrte aprofunda o cenário do analfabetismo na terceira idade. Ela também destaca a existência de mais de mil escolas estaduais de São Paulo que oferecem aulas da Educação de Jovens e Adultos (EJA). É nesse espaço que pessoas que estão fora da idade escolar (jovens, adultos e idosos) podem se alfabetizar.

Com aulas realizadas em salas com poucos estudantes, é um modelo de ensino que permite maior conexão entre o educador e a turma, bem como um acompanhamento mais próximo no desenvolvimento de cada um. Além disso, todos estão lá pelo mesmo motivo: aprender.

O que se deve levar em conta na alfabetização de idosos

Ewerton Fernandes de Souza, um dos 50 finalistas do Prêmio Educador Nota 10 de 2017, diz que ensinar jovens e adultos pressupõe um envolvimento maior do professor com seus alunos: ele “precisa se aproximar, ouvir, conversar, compreender os problemas (da aprendizagem e da vida) e estimular seus educandos. Sem esse tête-à-tête, qualquer esforço será em vão”.

O educador compartilhou quatro dicas, que adaptamos para quem quer apoiar a alfabetização de idosos:

1) Leve em conta as histórias de vida das pessoas idosas.

2) Respeite o tempo de cada um.

3) Reconheça, como regra, cada faixa etária com suas especificidades, e mesmo dentro de cada faixa, a heterogeneidade, diversidade e complexidade.

4) Motive sempre e não desista jamais.

Sobre a autora:

Madu

MADU é uma iniciativa do projeto Rede Bem Estar, realizado pelo Conselho Estadual do Idoso, em parceria com o Grupo Tellus, a Brasilprev e a Liga Solidária. Foi criada para potencializar a relação entre pessoas mais velhas, seus familiares e amigos além de compartilhar conteúdos sobre envelhecimento e velhice.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto