Alimentação | Cuidado

Desnutrição na terceira idade

por Daniela Santilli
28 de maio de 2020

Por que, na velhice, é preciso prestar mais atenção na alimentação? O que ocorre no corpo e quais as consequências para a saúde?

Foto: Paul Hanaoka – Unsplash

Como ter uma boa alimentação é um assunto que faz parte das nossas vidas desde pequenos, na terceira idade desnutrição é um problema recorrente e sério. Primeiro, vamos entender como ela acontece para, em seguida, aprender a preveni-la.

Os sintomas principais de desnutrição são: perda de até 10% do peso em 6 meses, pele pálida, perda muscular e cabelos finos. Em todo o mundo, pesquisas mostram que o número de idosos desnutridos varia de 15% a 60%, dependendo do lugar onde vivem (UOL, 2018). É importante saber que desnutrição atinge pessoas obesas também.

O que pode causar desnutrição além da alimentação desequilibrada ou inadequada?

Medicamentos

Alguns medicamentos podem alterar o paladar, fazendo com que a pessoa perca o apetite. Nestes casos, pratos frios podem ajudar: saladas, legumes cozidos frios, frutas, sopas frias. Uma pessoa saudável não ingere apenas sopas, massas e lanches. É preciso se alimentar com legumes, verduras, frutas e proteínas.

Mudanças naturais no corpo

O envelhecimento das funções normais do corpo humano pode levar à dificuldade para mastigar e engolir (distúrbio tecnicamente chamado de disfagia). Em outros casos, pode haver perdas dentárias, fazendo-se necessário oferecer pratos mais pastosos, que não necessitem de força para mastigar. Alimentação pastosa deve ser ministrada apenas em casos recomendados pelo médico, quando há engasgos frequentes que coloquem a vida da pessoa idosa em risco.

Se possível, resolva o problema dentário com uma prótese. É importante que a pessoa idosa não perca o ato da mastigação, diminuindo assim o risco de desnutrição. 

Emoções

Alterações de emoções e sentimento de solidão e tristeza podem indicar uma possível depressão. Essa doença também pode ser uma forte inibidora de apetite na terceira idade. Muitas situações podem ocasionar esse sentimento de tristeza, como luto, falta de contato familiar e social.Tudo isso faz com que o organismo fique debilitado e sujeito a infecções. Nessa fase da vida, a recuperação a um corpo saudável é bem mais difícil.

Ações a serem tomadas  

Não deixe que a pessoa idosa se isole. Relações sociais são muito importantes para a saúde. Caso ela não possa sair de casa, estimule-a a fazer um curso pela internet. Um curso de línguas, história ou um tema que a pessoa idosa goste. Peça aos parentes e amigos que liguem para ela, ajude-a com um trabalho voluntário, qualquer ação que a engaje a um grupo social, virtual ou não. Ter compromissos é importante.

Incentive a pessoa idosa a fazer uma caminhada. Seja no parque, na praça, no quarteirão, ou até para quem tem dificuldade com as calçadas da cidade, na garagem do prédio, no térreo ou no quintal. 

Shoppings Centers e supermercados são lugares seguros para caminhar. Em ambos os lugares, o chão é plano, o idoso pode interagir com outras pessoas e até ajudar nas compras da casa, sentindo-se útil. No supermercado, dê o carrinho de compras para a pessoa idosa empurrar.

Em muitos lugares da cidade, em quase todos os bairros, você pode encontrar aulas de ginástica gratuita ou aulas de dança.

O importante é se mexer. Além de fazer bem para a saúde física, faz bem para a saúde emocional também.

Sobre a autora:

Daniela Santilli

Daniela Santilli, fundadora do Plano Cuida Idoso, onde escreve e compartilha sobre cuidados, direitos e experiências com a terceira idade, formada cuidadora de idosos pela Cruz Vermelha, estudante de Gerontologia. Atua no mercado atendendo a pessoa idosa e seus familiares em casa, onde trabalha segurança, organização, afeto e reinserção social da pessoa idosa.

Madu

Receba conteúdos especiais da Madu pelo seu email

Somos guardiões das memórias afetivas de tudo que vivemos e queremos compartilhá-las. Vamos juntas e juntos construir relações de afeto entre gerações? Te esperamos pra mais essa jornada! Conheça o nosso manifesto clicando aqui.

Veja nosso Manifesto